Artigos

Fake News. Jornais são mais seguros que a Internet.

| 07/05/2018 - 21:00

Sem imprensa livre, não existe Estado Democrático de Direito com respeito às liberdades civis e aos direitos humanos. Possuindo assim importância tão relevante e fundamental para a existência de um Estado moderno e transparente, não surpreende que a imprensa e, principalmente, os jornalistas sejam, em todo o mundo, transformados em alvo em potencial por governos desonestos e grupos criminosos diversos que almejam manter nas sombras suas atividades.
Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a cada semana mais de um jornalista é assassinado em algum lugar do planeta, sendo que apenas um entre dez crimes é levado aos tribunais. Nos países dominados por ditaduras ou onde o crime organizado possui ramificações dentro do Estado, o trabalho dos jornalistas se torna tão ou mais perigoso do que cobrir conflitos armados e sangrentos diretamente do front. Somente na última década mais de 600 jornalistas foram assassinados em diferentes pontos do planeta. No último dia 30, 10 jornalistas foram mortos, de uma só vez, em uma emboscada covarde preparada pelo grupo terrorista Estado Islâmico no Afeganistão.
Relatório divulgado agora pela ONG Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) aponta o aumento de crimes cometidos contra os profissionais de imprensa no Brasil, no Paquistão e na Somália, entre 2003 e 2012, e que permanecem sem solução. O Brasil que ocupa a 10ª posição nesse ranking, possui 9 assassinatos a cada 10 sem solução.
Apenas nos primeiros quatro meses desse ano 39 jornalistas foram mortos em todo o mundo, contra 79 no ano passado. Até 2013, o Brasil era considerado o país mais perigoso do continente da profissão de jornalista, vindo posteriormente a ser substituído pelo México, onde o narcotráfico mais e mais vai se ramificando entre a classe política e agentes da lei, transformando o Estado numa espécie de cúmplice desses crimes.
Com as manifestações que começaram a ocorrer a partir de 2013, a imprensa, taxada de golpista pelos governos petistas, passou a ser o alvo principal de ataques de todo o tipo, sendo rotineiramente ameaçada na cobertura dos eventos convocados pelos partidos de esquerda.
Para o diretor-geral da Unesco, Audrey Azoulay, “Para se ter informação de qualidade é necessário realizar o trabalho de verificação das fontes e de seleção dos assuntos pertinentes; também são necessários ética e um espírito independente. Dessa forma, isso depende totalmente do trabalho dos jornalistas.
Além das ameaças e dos assassinatos cometidos contra os profissionais da notícia, nas últimas décadas a imprensa, de modo geral, vem enfrentando um novo e sério inimigo. Com o advento das mídias sociais, propiciadas pelo fenômeno da internet, surgiram as fake news, que espalham notícias falsas, calúnias aos profissionais e órgãos de impressa, gerando um ambiente de confusão onde a verdadeira notícia é escondida sob uma névoa densa de outras informações mentirosas.
O presidente do TSE, ministro Luiz Fux, contou em entrevista num programa de TV que o TSE tem um conselho de Inteligência que trabalha com a Abin, Exército e Polícia Federal para a repressão e prevenção das notícias falsas espalhadas pela Internet. Disse também que a melhor aliada da Justiça eleitoral é a imprensa. Ela tem uma responsabilidade preventiva formidável, disse o ministro, por aferir e colher a informação.
Na verdade, o surgimento das fake news fez aumentar a credibilidade dos jornais e revistas, assim como das agências tradicionais de notícias. A Internet é 100% vulnerável às notícias falsas.
Fonte: Circe Cunha e Mamfil
colunadoaricunha@gmail.com;
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Artigos'

Aumenta o número de alunos da Educação  Especial matriculados em escolas regulares

Maior Conclave Leonístico do Sul do Brasil inicia dia 24

Como o Pai me enviou, também eu vos envio. Recebei o Espírito Santo

O equilíbrio fiscal com investimento público é possível? 

Qual é o sonho de cidadãos do bem? Cantar um Hino de Louvor à Pátria amada, fazer loas aos parlament

Um emprego dos sonhos, no mundo das “fantasias”

De médico, marqueteiro e louco, todo mundo tem um pouco

Fake News. Jornais são mais seguros que a Internet.

Como meu Pai me ama, assim também vos amo

Trabalhador e pagador. Desobediência civil ou segurança?

Mais Destaques

Cidade

Maior Conclave Leonístico do Sul do Brasil inicia dia 24

"ultrapassamos os 14 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)