Economia

Caixa reduz juros do crédito imobiliário

| 16/04/2018 - 21:10

Caixa reduz juros do crédito imobiliário

A Caixa Econômica Federal anunciou na manhã de ontem, segunda-feira (16), a redução de até 1,25 ponto porcentual das taxas de juros do crédito imobiliário utilizando recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo. Além disso, o banco também anunciou o aumento de 50% para 70% da cota de financiamento de imóvel usado. As mudanças começaram a valer já na data de ontem.
A medida para baratear o custo do crédito imobiliário já havia sido antecipada pelo novo presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, no início do mês, quando assumiu o comando do banco. Para ele, a redução facilita o acesso à casa própria e contribui para estimular o mercado imobiliário. “O objetivo da redução é oferecer as melhores condições para os nossos clientes, além de contribuir para o aquecimento do mercado imobiliário e suas cadeias produtivas”, disse em nota.
De acordo com a instituição, com a medida, as taxas mínimas passaram de 10,25% para 9% ao ano no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e de 11,25% para 10% ao ano para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).
A Caixa ainda informa que possui R$ 82,1 bilhões para o crédito habitacional em 2018 e que o banco mantém a liderança no setor, com cerca de 70% das operações para aquisição da casa própria.
A redução dos juros já estava em estudo pelo banco ainda na gestão de Gilberto Occhi, que foi deslocado da presidência da Caixa para assumir o Ministério da Saúde. No entanto, a recente mudança anunciada pelo Banco Central no depósito compulsório contribuiu, conforme o novo presidente do banco, para que a instituição tomasse tal decisão, aproximando-se, assim, dos seus pares privados que já cortaram os juros no crédito imobiliário no ano passado a reboque da queda da taxa básica, a Selic.
Apesar de sua gestão à frente da Caixa ter um tempo “exíguo”, considerando as eleições presidenciais em outubro próximo, Souza reafirma que seu foco é o setor de habitação, da qual o banco é líder, e também atuar junto a segmentos que gerem mais emprego e renda, sem deixar de lado questões como capital e resultado financeiro.
Com 39 anos de Caixa, Souza passou pela diretoria de Pessoas, Gabinete da Presidência, cuidou da Superintendência da Região Nordeste e do FGTS do banco público. Depois de ficar por dois anos na presidência do Banco do Nordeste, assumiu a vice-presidência de Habitação da Caixa, em 2016 até o início desse mês, quando foi escolhido para dar continuidade à gestão de Occhi.
Fonte: Murilo Rodrigues Alves (O Estado de S.Paulo)
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

Relator admite que não há votos na Câmara para aprovar autonomia do BC

Decreto muda regra para trabalhadores com deficiência usarem o FGTS

Financiar imóvel de R$ 500 mil fica 16% mais barato

Caixa reduz juros do crédito imobiliário

Em Nova York, Ilan indica que Copom vai cortar juros em maio

Mercado reduz para previsão de déficit nas contas públicas

CMN nega que já tenha definido meta de inflação para 2021

Diesel da Petrobras tem maior valor da nova era dos reajustes

Bancos vão oferecer parcelamento de dívida do cheque especial

IBGE melhora estimativa de safra, mas prevê queda de 4,7% em relação a 2017

Mais Destaques
"ultrapassamos os 13 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)