Economia

Diesel da Petrobras tem maior valor da nova era dos reajustes

| 11/04/2018 - 20:35

Diesel da Petrobras tem maior valor da nova era dos reajustes

O preço médio do diesel vendido pela Petrobras a distribuidoras de combustíveis atingiu ontem(11), seu maior valor desde meados de 2017, no embalo do movimento do barril do petróleo no mercado internacional, que opera a cerca de 72 dólares, marcando uma máxima desde dezembro de 2014.
O diesel, combustível mais consumido no Brasil, está sendo comercializado nas refinarias da empresa nesta quarta-feira ao valor médio de 1,9169 real o litro, após alta de 2,3 por cento ante o valor cobrado no dia anterior, segundo dados da Petrobras.
É o maior valor do diesel desde que a empresa começou a reajustar preços quase que diariamente, em 30 de junho de 2017, seguindo os valores do mercado internacional, em busca de rentabilidade. Entretanto, a alta acumulada em abril é de apenas 1,5 por cento.
“Hoje, quando o mercado de petróleo oscila, isso é repassado diretamente para a conta. Então você vai ter um aumento naturalmente”, disse o sócio da GO Associados Fernando Marcato, destacando que em anos passados a Petrobras subsidiava os preços dos combustíveis, amargando prejuízos bilionários, ao segurar reajustes.
Já o preço médio da gasolina da empresa nas refinarias atingiu 1,6833 real o litro, alta de 2,4 por cento ante terça-feira. É o maior nível desde 3 de janeiro, quando o combustível fóssil foi comercializado a 1,6917 real o litro. Em abril, a alta acumulada é de 0,3 por cento.
Enquanto isso, o petróleo tipo Brent, referência global, operava a 72,08 dólares o barril, com alta de 1,5 por cento na sessão, por volta das 14h55 (horário de Brasília).
A política de preços da Petrobras para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo.
“Uma das causas é certamente o aumento do preço do petróleo, batendo os 72 dólares o Brent. A taxa de câmbio também está ajudando um pouco, batendo quase 3,42 reais... principalmente de sexta-feira para cá, que aumentou”, disse o analista de petróleo da Tendências Walter De Vitto, apontando que a desvalorização do real ante o dólar eleva a paridade de importação.
Tensões geopolíticas, como o possível retorno de sanções comerciais contra o Irã, um grande produtor de petróleo, assim como tensões entre EUA e Oriente Médio são citados como fatores de pressão para os preços do petróleo.
Procurada, a Petrobras não comentou imediatamente o assunto.
IMPACTOS NOS POSTOS
Os preços da gasolina e do diesel aos consumidores finais também estão por volta de máximas.
No entanto, os valores da Petrobras são apenas uma parcela dos preços cobrados nos postos de combustíveis. O valor na bomba incorpora tributos e repasses dos demais agentes do setor de comercialização: distribuidores, revendedores e produtores de biocombustíveis, entre outros.
Além disso, antes de serem vendidos nos postos de combustíveis, a gasolina e o diesel sofrem misturas com etanol anidro e biodiesel, respectivamente.
Na semana passada, o preço médio do diesel bateu também um recorde nominal dos postos de combustíveis, a 3,396 reais o litro, segundo os dados mais recentes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), cuja série histórica não leva em conta a inflação.
Já o preço médio da gasolina nas bombas atingiu na semana passada 4,217 reais o litro, próximo da máxima nominal de 4,221 reais o litro, registrada na semana entre 28 de janeiro e 3 de fevereiro.
Marcato, da GO Associados, destacou que os elevados preços nos postos decorrem ainda de um aumento de tributos dos combustíveis (PIS/Cofins) em meados do ano passado.
Devido à sensibilidade do tema para a população, integrantes do mercado de combustíveis, como Petrobras e a Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural), contrataram propagandas em diversos meios para justificar a alta dos preços.
“A Plural (ex-Sindicom) está fazendo campanha na TV, dizendo que o problema do posto, da gasolina, é imposto. Fizeram um jogo de palavras...”, disse Marcato.
Os preços da gasolina nos postos, por sua vez, poderiam sofrer uma queda nas próximas semanas, com a entrada da safra de cana no centro-sul, uma vez que o combustível recebe 27 por cento de etanol anidro —isso dependendo do peso da sazonalidade para o mercado.
O valor médio do etanol hidratado nos postos do Brasil, no entanto, segundo a ANP, ainda registrou um recorde na semana passada, a 3,055 reais o litro —o repasse do preço dos produtores não costuma ser imediato.
Fonte: br.reuters.com/
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

Como declarar conta do banco no Imposto de Renda 2018

É ‘vital’ conter a dívida brasileira, diz FMI

Relator admite que não há votos na Câmara para aprovar autonomia do BC

Decreto muda regra para trabalhadores com deficiência usarem o FGTS

Financiar imóvel de R$ 500 mil fica 16% mais barato

Em Nova York, Ilan indica que Copom vai cortar juros em maio

Caixa reduz juros do crédito imobiliário

Mercado reduz para previsão de déficit nas contas públicas

CMN nega que já tenha definido meta de inflação para 2021

Diesel da Petrobras tem maior valor da nova era dos reajustes

Mais Destaques

Regional

São José das Palmeiras comemora 33 anos com festa

Cidade

Marina Elali apresenta-se no Teatro nesta sexta e anuncia desejo de ser mãe

Estado

Mesmo vaga, vice-governadoria consumirá R$ 50 mil por mês em comissionados

Geral

Conta de luz aumentará com venda da Eletrobrás, dizem especialistas

Opinião

Mensagem: Ciscopar x Gestão

Gente X Poder

Apenas 60% das empresas da feira shopping são de Toledo.

"ultrapassamos os 13 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)