Política

Especialistas divergem sobre resistência de Lula

Fonte: Luis Nassif (jornalggn.com.br) | 06/04/2018 - 20:50

Especialistas divergem sobre resistência de Lula

Especialistas em Direito Penal questionam, agora, os limites e possibilidades para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre como ele irá se entregar, ou não. Estado de sítio no país foi aventado por uma advogada.
O clima de instabilidade, após os flagrantes abusos cometidos pela decisão do Tribunal Regional Federal da 4a. Região (TRF-4) e do juiz Sérgio Moro, tornaram situações simples do Direito Penal alvo de dúvidas e questionamentos de validade.
Neste cenário, alguns especialistas consultados pelo Estadão acreditam que a reação do ex-presidente, ainda sem ser de conhecimento público de como será tomada, poderá gerar desde levantes populares e estado de sítio no país, ou apenas uma mudança do juiz Moro, adiando a prisão para outro dia.
Em seu despacho, Moro ressaltou que “em qualquer hipótese” está permitido o uso de algemas. Entretanto, para Sylvia Urquiza, especialista em Direito Penal e sócia do Urquiza, Pimentel e Fonti Advogados, a decisão poderá ser modificada, de última hora, pelo juiz de primeira instância, se perceber a resistência.
“A polícia irá buscá-lo. Se houver resistência, em último caso, o juiz Moro poderá autorizar o uso de algemas e de força policial”, disse.
E completou, em alerta: “Agora, se for impossível prendê-lo em razão do levante popular, o país estará em estado de defesa ou de sítio, nos quais poderá haver restrição aos direitos fundamentais em nome da preservação do próprio Estado. O presidente da República e o Congresso decidem pela decretação desses estados”.
Já para Gustavo Neves Forte, criminalista e professor de direito penal do IDP-São Paulo, caso a resistência seja grande, a prisão poderá ser cumprida “em qualquer dia e qualquer hora”.
Mas previu a possibilidade do uso de “força moderada” pela polícia: “Passado o prazo estabelecido pelo juiz Sérgio Moro para que o ex-presidente Lula se entregue, a polícia poderá imediatamente dar cumprimento ao mandado de prisão. Havendo resistência, é possível a utilização de força moderada pelos agentes policiais”.
“Se estiver em sua residência, Lula só poderá ser preso durante o dia, entendido como o período compreendido entre 6h e 18h. A expressão domicílio, para fins penais, possui sentido amplo, podendo abarcar qualquer local de habitação ou até mesmo o local de trabalho, desde que não aberto ao público”, esclareceu.
E na visão do conselheiro da OAB-SP, Frederico Crissiuma de Figueiredo, a opção de resistência é possível. Mas há riscos: “O ex-presidente tem direito de resistir. A PF pode optar até pelo uso moderado de força para levá-lo. Nessas condições, até mesmo o uso de algemas se justificaria, apesar da ressalva feita pelo Moro. Terceiros que tentem impedir a prisão, com uso de força ou grave ameaça, podem ser presos em flagrante por crime contra a administração da justiça”.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Política'

Joesley não fez pagamento de R$ 2 mi a Aécio por caridade, diz subprocurador

A seis meses das eleições, bancadas no Senado têm nova configuração

Ex-governadores devem ser julgados depois da eleição, dizem juristas

Temer quer de ministros gestão de continuidade

Câmara conclui votação do Sistema Único de Segurança Pública

Alckmin sem foro, Aécio quase réu e Azeredo perto da prisão

Temer dá posse a dez ministros em cerimônia no Planalto

Com viagens de Temer, Cármen Lúcia assumirá Presidência na sexta

Entidades de Toledo ficam de fora do Nota Paraná

Voto de Rosa deve garantir prisão na 2ª instância

Mais Destaques
"ultrapassamos os 13 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)