Segurança

Fragilização do controle aduaneiro em Foz do Iguaçu/PR

| 03/04/2018 - 20:30

142.700 pessoas e 47.500 veículos cruzando diariamente as fronteiras de Foz do Iguaçu com o Paraguai e Argentina.
Na principal fronteira terrestre do Brasil, localizada em Foz do Iguaçu/PR, existe um fluxo diário de aproximadamente 39 mil veículos na Ponte Internacional da Amizade, nos sentidos Brasil-Paraguai e Paraguai-Brasil, segundo pesquisa desenvolvida pelo Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - UDC. Na fronteira com a Argentina o fluxo é de 8.500 veículos por dia, cruzando a Ponte Internacional da Fraternidade, nos sentidos Brasil-Argentina e Argentina Brasil.
Em relação aos pedestres que cruzam a ponte que liga o Brasil ao Paraguai os estudos da UDC apontam mais de 24 mil pessoas diariamente entrando ou saindo a pé do território brasileiro, subindo para 114 mil pessoas ao se considerar as que trafegam em automóveis, motos, vans, táxis e ônibus. Em relação à fronteira com a Argentina o fluxo diário é de 28.700 pessoas em veículos.
Com esses dados podemos chegar aos totais de 142.7 mil pessoas e 47.500 veículos cruzando diariamente as fronteiras de Foz do Iguaçu transportando uma diversidade enorme de produtos legais e ilegais. Em sua atribuição de realizar o controle aduaneiro na fronteira mais movimentada do país a Receita Federal, no ano de 2017, apreendeu US$
80,1 milhões em mercadorias e veículos, resultado que superou os US$
67,4 milhões alcançado em 2016.
Além do intenso tráfego de veículos e pessoas em Foz do Iguaçu ainda existem operações de importação, exportação e trânsito de cargas, sendo a Balança Comercial do munícipio de US$186,1 milhões em exportações e US$ 157,23 milhões em importações, que em sua grande maioria são tratadas e operacionalizadas em um dos maiores Portos Secos da América Latina, o Porto Seco de Foz do Iguaçu. Em 2016, o terminal alfandegado liberou 182.323 caminhões, observando que a importação de grãos do Paraguai alcança uma média diária de 100 caminhões entrando no Brasil, sem contar com a movimentação que ocorre no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, no qual circulam, diariamente, uma média de 5.633 passageiros, 54 voos e 1.581 kg de carga aérea.
Todo esse fluxo de pessoas, veículos e cargas está sujeito ao controle aduaneiro da Receita Federal, que é realizado pelos Analistas-Tributários que atuam em regime de plantão 24 horas x 72 horas nas Pontes Internacionais da Amizade e da Fraternidade e no Aeroporto Internacional. Essas equipes de servidores realizam suas atribuições legais com um quantitativo muito abaixo do que a própria Receita Federal considera ideal, pois atualmente a Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu possui no seu quadro funcional 73 Analistas-Tributários quando deveria ter 227.
Com um quantitativo aquém do ideal os Analistas-Tributário realizam diuturnamente o combate ao contrabando e o descaminho, juntamente com outros órgãos que atuam no controle das fronteiras brasileiras, como a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Forças Armadas. Nas ações de controle aduaneiro realizadas pelos Analistas-Tributários na região de Foz do Iguaçu são realizadas apreensões não somente de mercadorias ilegais, mas também grande quantidade de armas, munições e drogas.
Mesmo diante do desafio que representa realizar o controle aduaneiro na maior fronteira do Brasil com um número reduzido de Analistas-Tributários, a Receita Federal através da Portaria RFB nº 6.451, de 27 de dezembro de 2017, estabelece o fim do regime de plantão
24 horas x 72 horas e determina que o novo regime de plantão a ser adotado pelas unidades aduaneiras deve ser o de 12 horas x 36 horas, a partir do dia 3 de abril do corrente ano.
Essa determinação do novo regime de plantão compromete o já fragilizado controle aduaneiro acabando com o plantão noturno no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu e encerrando os plantões 24 horas x 72 horas, regime adotado por todos os outros órgãos que atuam no controle de fronteiras, como Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, além de em determinados casos estabelecer que a vigilância aduaneira e o atendimento a viajantes sejam realizados por somente um Analista-Tributário, o que contrari todos os normativos relativos à segurança do servidor.
A drástica redução das equipes de plantão noturno estabelecidos pela Portaria RFB nº 6.451/2017 para os principais Portos, Aeroportos e Postos de Fronteira do Brasil, por onde passa todo o fluxo comercial do País, está absolutamente evidente. De forma objetiva, a referida portaria enfraquecerá a “Presença Fiscal” da Receita Federal nessas localidades que são estratégicas para o controle do comércio internacional e para o enfrentamento de crimes, como o contrabando, o descaminho e o tráfico de drogas.
Por sua atribuição legal de realizar o controle aduaneiro nas operações do comércio internacional não há como desconsiderar a importância da Receita Federal do Brasil, da Aduana Brasileira, nas ações que visam promover políticas públicas de segurança, principalmente as ações relacionadas ao combate ao contrabando, ao descaminho e ao tráfico de drogas. É nesse sentido que os Analistas-Tributários da Receita Federal alertam para os efeitos negativos gerados pela Portaria RFB nº 6.451/2017 e que conduzem a Receita Federal em sentido contrário à necessidade de uma Segurança Pública mais eficiente e eficaz do País, que passa pela ampliação das ações de controle de fronteiras e do fortalecimento da Aduana.
Fonte: Receita Federal do Brasil
Assessoria de Imprensa do Sindireceita - Rafael Godoy
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Segurança'

PM apreende 762 kg de maconha e recupera veículo roubado

Carregamento de armas e drogas é apreendido em Toledo

PRF apreende drogas e munições dentro de lataria e estepe de carro

Fragilização do controle aduaneiro em Foz do Iguaçu/PR

Operação de combate ao tráfico de drogas prende 10 suspeitos no Paraná

Operação Páscoa registra 24,4% menos feridos nas rodovias

BPFron apreende cocaína, haxixe, armas de fogo e contrabando

Mais Destaques

Estado

Mesmo vaga, vice-governadoria consumirá R$ 50 mil por mês em comissionados

Gente X Poder

Apenas 60% das empresas da feira shopping são de Toledo.

Cidade

Marina Elali apresenta-se no Teatro nesta sexta e anuncia desejo de ser mãe

Geral

Conta de luz aumentará com venda da Eletrobrás, dizem especialistas

Economia

Como declarar conta do banco no Imposto de Renda 2018

Regional

São José das Palmeiras comemora 33 anos com festa

Opinião

Mensagem: Ciscopar x Gestão

"ultrapassamos os 13 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)