Cultura

Um herói que se levantou no passado e é lembrado hoje

Fernando Baldi Braga | 06/02/2018 - 21:00

Um herói que se levantou no passado e é lembrado hoje

Hoje é um dia especial para a cultura brasileira, sulista e, em especial, para a cultura gaúcha, pois um dos mártires que ajudou a delinear as fronteiras do Brasil, é lembrado em 07 de fevereiro. Estamos falando de Sepé Tiaraju, um guerreiro indígena, considerado santo popular e declarado “herói guarani missioneiro rio-grandense” por lei. Importante liderança indígena, ele esteve à frente de uma rebelião contra o Tratado de Madri e foi um personagem marcante em nossa história.
Sepé é historicamente conhecido por ter resistido aos ataques militares espanhóis e portugueses do período colonial. Ele foi um chefe indígena dos Sete Povos das Missões Orientais do Uruguai (território hoje integrado ao estado do Rio Grande do Sul) que virou herói para seu povo. Em 1750, Portugal e Espanha assinaram o “Tratado de Madri”, pelo qual Portugal cederia a Colônia do Sacramento (fundada pelos portugueses onde hoje é o Uruguai) à Espanha em troca da região dos Sete Povos. A tentativa de desocupação implicava na retirada de milhares de indígenas, que seriam expulsos de suas propriedades e deslocados para outro território espanhol. Para concretizar o acordo, os povos guaranis deveriam abandonar as sete aldeias onde viviam.
Induzidos pelos padres jesuítas, que foram enviados à região para catequizar os nativos, os índios não aceitaram o tratado e pegaram em armas para defender suas terras. Teve início, assim, a “Guerra Guaranítica”, que opôs os indígenas às tropas espanholas e portuguesas. Sepé, líder das forças missioneiras, montou resistência e obteve sucesso em algumas lutas, até que foi abatido em combate durante uma batalha que, segundo registros da época feitos por missionários jesuítas, resultou na morte de cerca de 1.500 guaranis (estima-se que durante a guerra, que durou três anos, aproximadamente 30 mil índios morreram).
Sepé ficou conhecido entre o povo rio grandense como herói da resistência. É na batalha de sua morte que o atual território do Rio Grande do Sul é tomado e cedido a Portugal, o que permitiu que mais tarde o território se tornasse pertencente ao Brasil. O valor da figura de Sepé Tiaraju na história do Rio Grande do Sul está representado na exaltação que se faz ao herói como motivo de mudanças sociais importantes para o estado.
Os Centros de Tradições Gaúchas, conhecidos como CTGs, têm documentos e homenagens ao mártir, exaltado na literatura e na cultura popular. O mês de fevereiro é considerado o mês em homenagem a Sepé, uma das figuras históricas que ajudou a consolidar a identidade do povo gaúcho e permeia o imaginário popular.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cultura'

Abertas inscrições para Dia Internacional da Animação

Oficina de Escrita Criativa

Toledo participa da 16ª Semana de Museus

Cidades paranaenses recebem cursos de capacitação do MinC

Público prestigia ‘Cão sem Plumas’ no Teatro Municipal

Alfredo Andersen ganha exposição em Foz do Iguaçu

MON inaugura a mostra “Paisagens Construídas”

Semana especial para o Museu Willy Barth

“Palavras do Paraná” percorre a região oeste

Circuito “Cultura Gera Futuro” chega ao Paraná

Mais Destaques

Cidade

Maior Conclave Leonístico do Sul do Brasil inicia dia 24

"ultrapassamos os 14 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)