Cidade

Empresária acusa o Vereador Airton Paula (Savelo), (PTB) de ameaçar fechar sua empresa, se prevalece

| 11/12/2017 - 14:30

Empresária acusa o Vereador Airton Paula (Savelo), (PTB) de ameaçar fechar sua empresa, se prevalece

Não bastassem as inúmeras lambanças da atual administração de Lúcio de Marchi que envolve os dois poderes, Executivo e Legislativo por não se entenderem, ou melhor, por estarem tomando decisões hora inocentes, hora provocativas, e em alguns casos, como aquela das “nomeações”, consideradas infantis, agora, o alcaide vai ter que, tentar se preocupar com alguns vereadores que lhe dão sustentação na câmara. Devido a gravidade do mais novo fato criado pelo vereador em se envolver entre “negócios comerciais de terceiros”, Airton Savello cometeu aquilo que podemos chamar de “a lambança de OURO do ano” ao se apresentar a uma empresa como sendo o “Xerife”, chegou com o peito estufado e com a intenção de intimidar, denegrir, humilhar, tipo assim, arbitrariamente e abusado mandou essa frase à empresária: “sou presidente da câmara de Toledo, hoje mesmo fecho essa loja”. Talvez ele não sabe os deveres de um vereador, vamos pontuar aqui somente 4, pois, esse abuso poderá sim, lhe custar o cargo:
O Vereador é a pessoa eleita pelo povo para cuidar do bem e dos negócios do povo em relação à administração pública, ditando as leis necessárias para esse objetivo. Suas principais funções consistem em 4:
1) Legislar, ou seja, em elaborar as leis que são de competência do Município, discutir e votar os projetos que serão transformados em Leis, buscando organizar a vida da comunidade.
2) Fiscalizar a administração, cuidar da aplicação dos recursos, a observância do orçamento.
3) Assessoramento ao Executivo: esta função é aplicada às atividades parlamentares de apoio e de discussão das políticas públicas a serem implantadas por programas governamentais, via plano plurianual, lei de diretrizes orçamentárias e lei orçamentária anual (poder de emendar, participação da sociedade e a realização de audiências públicas)
4) Função Julgador; atuar como um apreciador das contas públicas dos administradores e da apuração de infrações político-administrativas por parte do Prefeito e dos Vereadores.
O fato
No último dia 06 de dezembro, o vereador do PTB, Airton Savello, eleito pela grande pioneiro se associou a um terceiro ( cliente da empresa) que, segundo consta no B.O, para fazer uma cobrança de valor não mais existente, já que tinha sido resolvido entre as partes no PROCON. Para a empresaria Eliane da Silva, sócia proprietária da empresa Bakes equipamentos, situada na Avenida J.J.Muraro, que se deparou com uma situação constrangedora ao ser ameaçada pelo vereador AIRTON (savello) PAULA,que “se ela não resolvesse o desacordo comercial, ele, como “presidente da câmara”, iria fechar a empresa naquele mesmo dia.” Claro que, a empresária, inteligente como qualquer cidadão que sabe respeitar “leis”, acionou a polícia e todos foram conduzidos à 20ª SDP gerando um B.O nº 1420969 -Ameaças- crimes contra pessoa veja no link http://www.gazetatoledo.com.br/ckfinder/files/jpg2pdf.pdf. A empresária não se contentando com o comportamento do vereador que não foi eleito para fazer isso, alem de representar contra o vereador, também se dirigiu ao centro cívico Presidente Tancredo Neves e protocolou ( nº 2904) um pedido de providência à mesa da câmara assim como seu jurídico: Leia a Carta completa no link: http://www.gazetatoledo.com.br/ckfinder/files/combinepdf%20(2).pdf
A versão
Em visita a Gazeta de Toledo, o vereador Airton Savello, negou que tenha usado do nome de “presidente da câmara e da ameaça” de fechá-la. Segundo Savello, sua palavras foram de que, ela não podia ficar de portas abertas tratando os clientes daquela maneira, quando ele pediu o que, o (CLIENTE) que já tinha acertado estava fazendo lá novamente? Não foi assim e iremos tratar de outra forma esse assunto, disso Savello a Gazeta.
Fato semelhante
Em agosto desse ano, o vereador e presidente da câmara da cidade de Medianeira, Sebastião Antonio teria constrangido o empresário Rudinei Camatti, proprietário da loja de conveniência MiniMart anexo ao Posto de Gasolina Tonin no mesmos moldes do que aconteceu com o vereador Airton Savello. Nesse fato, o problema foi à venda de bebidas e algazarras não comprovadas. O tom foi de constrangimento e de ameaças de que o estabelecimento deveria ser fechado, com a justificativa de que haveria uma intervenção ordenada pelo Ministério Público. A 1ª Promotoria de Justiça de Medianeira ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o presidente da Câmara Municipal.

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

Ligue 153: Espaços públicos sofrem vandalismo

Too de Férias: Museu é ponto turístico indispensável para quem quer conhecer a história do município

Representantes do CTG Chama Crioula se reúnem com o prefeito

CMEG define agenda para 2018

Professor paranaense concorre ao “Oscar” da categoria, em Dubai

Prefeitura entrega Centro Comunitário no Jardim Bressan

Governo construirá cinco restaurantes populares no Interior, inclusive mais um em Toledo

Indústrias melhoram performance e ampliam participação no mercado

Sebrae e parlamentares querem derrubar veto ao Refis de micro e pequena empresa

Parque do Povo, uma opção de lazer ao ar livre

Mais Destaques
"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)