Cidade

Descarte correto do óleo de cozinha é regulamentado no Paraná

| 07/12/2017 - 21:15

Descarte correto do óleo de cozinha é regulamentado no Paraná

Restaurantes, lanchonetes, padarias, supermercados e outros estabelecimentos que utilizam ou comercializam óleo de cozinha serão responsáveis pelo descarte adequado do produto e seus resíduos. A medida está prevista na lei 19.250 sancionada pelo governador Beto Richa nesta semana e que entra em vigor em 90 dias.
O objetivo é reduzir os impactos ambientais que o despejo inadequado do produto pode causar. Um litro de óleo de cozinha usado pode contaminar até 20 mil litros de água potável, e o produto leva até 14 anos para ser absorvido pela natureza.
Bruni explicou que, além dos impactos ambientais o óleo de cozinha prejudica o funcionamento do sistema de esgoto. Junto com outros materiais forma uma crosta que entope a tubulação.
“O descarte inadequado tem impacto negativo ao meio ambiente. Tem alto poder de contaminação da água e de obstrução da tubulação”, disse.
Armazenar - Proposta pela deputada estadual Cristina Silvestri, a lei determina que os estabelecimentos que trabalham com refeições devem armazenar os óleos e gorduras em recipientes fechados e identificados e encaminhá-los aos postos de arrecadação credenciados ou licenciados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Também precisam treinar os funcionários sobre armazenamento para que o óleo não seja contaminado por produtos químicos como combustível, solventes e produtos de limpeza.
No caso dos mercados e armazéns que vendem o óleo, a lei determina que devem manter no interior das lojas recipientes especiais para a coleta do óleo usado pelos clientes, encaminhá-lo para os postos de arrecadação e, ainda, exibir cartazes com informações sobre os perigos do descarte inadequado para conscientização dos consumidores. Todas as ações deverão ser feitas de forma gratuita, sem nenhum tipo de cobrança ao consumidor.
Proibição - Com a lei em vigor, fica proibido o despejo em ralos, pias ou canais que levam ao sistema de esgoto, guias, bueiros ou canalização conectadas ao sistema de drenagem de águas da chuva, córregos e nascentes.
Logística reversa - Segundo Bruni a lei contribuirá com as políticas de logística reversa já aplicadas no Paraná. “A lei regulamenta a logística reversa do óleo de cozinha, que já é feita parcialmente pelos cidadãos, mas que não havia uma legislação estadual vigente. Agora, a fiscalização pode agir com mais rigor”, afirmou.
Multa - Quem descumprir a lei está passível de multa que varia de duas a dez Unidades Padrão Fiscal do Paraná- cada unidade equivale a R$ 96,17 - e sujeito a suspensão das atividades em caso de reincidência. Os valores arrecadados serão depositados no Fundo Estadual do Meio Ambiente. A fiscalização ficará a cargo do Instituto Ambiental do Paraná (IAP).
Iniciativas- Em Toledo a empresa Bioecoóleo já realiza a coleta e a reciclagem de óleo de cozinha, inclusive coletando no endereço. Basta entrar em contato com os proprietários Alisson e Adelaide pelos telefones (45) 998080495 e (45) 998013890. A empresa empresta o vasilhame e atende a várias cidades vizinhas de Toledo.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

Certi Pioneiro retorna com atividades nesta sexta-feira

Cota única da parcela do IPTU deve ser paga até dia 12 de março

Nova coordenadora assume Núcleo Multissetorial da Mulher Empresária

CNMP apresenta proposta para ocupantes de cargo em comissão no MP

Núcleo de Gastronomia se prepara para renovar selo de qualidade

Paraná altera base de cálculo do ICMS de medicamentos

Convênio oferta atividades em contraturno escolar na rede municipal

Inscrições para vagas de curso sobre Inovação encerram dia 11/03/18

Radar portátil passa por aferição do Inmetro

Saúde realiza audiência pública quadrimestral para prestação de contas

Mais Destaques

Geral

Cresce abertura de novas empresas no Brasil

Política

Brasil cai 17 posições em ranking global de corrupção

Variedades e Gente

Ação Social promove Almoço Italiano

Esporte

ABATOL recebeu cartão Passe Atleta

Gente X Poder

Teto baixo ou teto ALTO?

AgroGazeta

Frota dos Alimentos Coamo com nova plotagem é apresentado

Cultura

AMOP lança projeto cultural para 54 cidades da região

Economia

Mais de mil contribuintes que aderiram ao Novo Refis estão irregulares

"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)