Economia

Assembleia aprova projeto que pode aumentar impostos empresas

| 05/12/2017 - 21:30

Assembleia aprova projeto que pode aumentar impostos empresas

Mesmo com parecer técnico da Fiep e outras entidades, maioria dosdeputados votou a favor de medida proposta pelo governo do Estado
A Assembleia Legislativa aprovou, na tarde desta segunda-feira (4), oprojeto de lei 557/2017, que altera as faixas de tributação do ICMSpara micro e pequenas empresas paranaenses. A proposta, elaborada pelogoverno do Estado, recebeu 36 votos favoráveis e 13 contrários. Noentendimento da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), a novatabela prevista no projeto pode representar aumento de impostos para boaparte das empresas, em alguns casos chegando a até 58%.
Segundo o governo, a proposta seria apenas uma adequação ao que estáprevisto na legislação que rege o Simples Nacional e não haveriaelevação de carga tributária. O presidente da Fiep, Edson Campagnolo,lembra que nas últimas semanas, baseada em estudos técnicos realizadospor seu Núcleo Tributário, a entidade se posicionou pedindo que fosseinserido no projeto um dispositivo que garantisse o não aumento deimpostos.
“Nosso posicionamento se baseia em um parecer técnico, sem qualquer tipo de conotação política”, afirma Campagnolo, acrescentando que entidades como a seccional paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Paraná) e a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap) também se posicionaram contrárias a qualquer aumento de carga tributária. “Entendemos que, em um momento em que as empresas ainda sentem os efeitos da longa crise que se abateu
sobre o país, qualquer aumento de impostos pode representar perda de competitividade e dificultar ainda mais a recuperação da economia”, completa.
O presidente da Fiep também afirma que houve falta de transparência na tramitação do projeto, já que o governo não disponibilizou dados suficientes para que fossem feitos cálculos precisos sobre o impacto das mudanças. “Causa estranheza que, mesmo sem transparência nas informações, 36 deputados tenham votado favoráveis à proposta”, diz Campagnolo. “A partir de agora, é preciso que os contribuintes estejam atentos, porque a possibilidade de aumento de impostos é real e as empresas não poderão arcar com isso, impactando no preço final dos produtos e penalizando todos os consumidores”, conclui.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

Piora no cenário internacional contribui para fim do ciclo de cortes nos juros

Receita Federal bate recorde de autuações em 2017

Petrobras corta preço da gasolina em 3%, maior queda em quase 3 meses

Preço da energia elétrica cai e IPCA sobe 0,29% em janeiro, bem abaixo do esperado

Preço da energia elétrica cai e IPCA sobe 0,29% em janeiro

Plenário pode aprovar fim de impostos sobre medicamentos

Governo proíbe viagens a serviço de primeira classe e executiva

Ministro aponta cartel em corporações do setor de combustíveis

Preço de commodities tem alta de 0,92% em janeiro

Vendas industriais caem 23,16% em quatro anos, mostra estudo da Fiep

Mais Destaques
"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)