Economia

Diretor-presidente do Tecpar debate orçamento de CT&I na Câmara dos Deputados

| 11/10/2017 - 20:50

O diretor-presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), Júlio C. Felix, que também dirige a Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti), participou nesta terça-feira (10) da Audiência Pública na Comissão de Ciência Tecnologia Inovação e Informática, na Câmara dos Deputados, para debater o orçamento e cortes no setor.
Ele destacou que o papel do investimento público é fundamental para o fortalecimento da Ciência e Tecnologia no país. “Todos os dados disponíveis que temos hoje no mundo demonstram de forma cabal que a fonte mais significativa para o financiamento do sistema de ciência é pública”, afirmou.
Felix foi categórico ao afirmar que não há futuro se o sistema de ciência nacional não se conecta com o sistema nacional de inovação, mediante a expansão e incorporação do conhecimento, a agregação de valor aos produtos e serviços e, por conseguinte, o aumento da competitividade das empresas e melhoria da distribuição de renda e da qualidade de vida da população. “Esses resultados só são alcançados quando se tem políticas públicas consistentes cuidadosamente planejadas, com visão de longo prazo e com financiamento expressivo e sistemático em CT&I”, disse.
Para o presidente do Tecpar, o caminho para a solução desta crise é a utilização dos recursos extra-orçamentários provenientes dos Fundos Setoriais e que estão alocados no Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).
Felix destacou também outro importante instrumento do governo para apoio ao setor que é o “Poder de Compra do Estado”. “Nos EUA, o poder de compra é o principal instrumento aplicado com sucesso no fomento das MPEs, com o American Act/33. No Brasil, as compras públicas movimentam cerca de 10% do PIB do país. Dois exemplos de destaque no emprego dessa modalidade foram a aquisições pelo estado dos primeiros aviões da Embraer e a aquisição pelo Ministério da Saúde de medicamentos para compor o coquetel antiaids”, ressaltou.
Conhecimento sem cortes
O debate fez parte de uma grande agenda em defesa do investimento no setor, liderada pelo Movimento “Conhecimento sem Cortes”, que inclui manifestações, reuniões e mobilização nas redes. Ainda na terça-feira foi realizado um Ato Público de entrega de 82 mil assinaturas da petição da Campanha ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.
Desde o início da campanha “Conhecimento sem cortes”, em junho, foram instalados “Tesourômetros” em várias capitais do país, que atualizam, minuto a minuto, o valor dos cortes em ciência, tecnologia e educação.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

Indicador de emprego da FGV chega a 103,9 pontos

Crescimento nos próximos anos será mais equilibrado entre setores, diz ministro

Empresas podem optar até 20 de dezembro pela antecipação do eSocial

Mudar transporte contra aquecimento global requer apoio, dizem especialistas

54% dos consumidores querem reduzir os gastos em dezembro

Natal: 11% dos pais que pretendem presentear irão atrasar contas

Assembleia aprova projeto que pode aumentar impostos empresas

Leniência fechada pelo MPF deve garantir R$ 24 bi aos cofres públicos

Após fraco resultado, setor de transporte mantém otimismo cauteloso para 2018

Mais Destaques
"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)