Geral

Temer ‘mexe’ no Exército e membros do Alto Comando falam em ‘risco de colapso’

| 10/10/2017 - 21:00

O presidente Michel Temer decidiu reduzir o número de oficiais-generais do Exército brasileiro neste próximo ano de 2018. A diminuição de sete oficiais, segundo o Governo, gerará uma economia de R$ 2,3 milhões para os cofres públicos e isso precisava ser feito, já que o Brasil vive em grave crise após ter sido vítima de corrupção desenfreada.
O Exército afirmou que também ocorrerá redução no ingresso nas escolas de formação e no número de sargentos.
As Forças Armadas não gostaram dessa redução no orçamento e pressionam o governo para que haja uma recomposição. De acordo com a instituição, nos últimos anos só se tem tirado recursos e isso acaba afetando toda a estrutura da instituição.
Conforme relatos do comando das Forças, se não houver uma licitação para adquirir mais verbas, a tendência é reduzir expedientes e antecipar a baixa de recrutas.
De acordo com informações do Alto Comando do Exército, Marinha e Aeronáutica, está ocorrendo substituição do quadro de efetivos para temporários. Isso pode ocasionar um ‘risco de colapso’ no país.
Além de baixas no Exército, o governo estuda alterar o quadro de integrantes da Marinha e Aeronáutica. O novo documento estipulado pelo governo reduzirá, até o momento, de 154 para 147 generais.
Segurança
O presidente decidiu reforçar a sua segurança e de outros parlamentares em tempos de denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) e chantagens do Congresso. O peemedebista tem andado desconfiado ultimamente, segundo informações.
Por determinação dele, será reforçada a segurança e incrementado um sistema de monitoramento eletrônico do AeroTemer, pois o tempo inteiro carrega parlamentares investigados e que sabem de informações preciosas para investigações.
Uma câmera que capta imagens no escuro será utilizada no Palácio do Planalto. O governo investirá até R$ 14 mil em equipamentos de segurança para modernizar a rede de proteção dentro dos aviões que Temer utiliza.
Fidelidade
Temer permanece muito forte no Congresso. Nos últimos 14 meses, ele tem conseguido manter uma alta fidelidade e isso tem o ajudado a se livrar de denúncias protocoladas contra ele. Em média, 75% dos congressistas estão ao lado de Temer.
Os próximos episódios de acusações contra ele, poderão ser levadas tranquilamente com a força de seus aliados. Porém, longe do Congresso, ele possui uma baixíssima popularidade.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Geral'

Ascensão de TI em medicina reflete em empresas do Oeste do Paraná

Dia Mundial da Justiça Social lembra 150 milhões de trabalhadores migrantes

Importações de fertilizantes pelo Brasil caem 25% em janeiro, diz Anda

Com Índia como principal mercado, Paraguai aumentou exportação de óleo de soja em 8,3%

PTB desiste de indicação de Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho

Temer fala em avanços, um dia depois de desistir da reforma da Previdência

Farelo de soja do Brasil tem preços melhores no mercado internacional

Dólar sobe e ronda R$3,25 com exterior e após governo desistir de Previdência

Tempo médio de desemprego no país já dura um ano e dois meses

Drama da maternidade nas cadeias choca às vésperas do STF julgar tema

Mais Destaques
"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)