Geral

Temer ‘mexe’ no Exército e membros do Alto Comando falam em ‘risco de colapso’

| 10/10/2017 - 21:00

O presidente Michel Temer decidiu reduzir o número de oficiais-generais do Exército brasileiro neste próximo ano de 2018. A diminuição de sete oficiais, segundo o Governo, gerará uma economia de R$ 2,3 milhões para os cofres públicos e isso precisava ser feito, já que o Brasil vive em grave crise após ter sido vítima de corrupção desenfreada.
O Exército afirmou que também ocorrerá redução no ingresso nas escolas de formação e no número de sargentos.
As Forças Armadas não gostaram dessa redução no orçamento e pressionam o governo para que haja uma recomposição. De acordo com a instituição, nos últimos anos só se tem tirado recursos e isso acaba afetando toda a estrutura da instituição.
Conforme relatos do comando das Forças, se não houver uma licitação para adquirir mais verbas, a tendência é reduzir expedientes e antecipar a baixa de recrutas.
De acordo com informações do Alto Comando do Exército, Marinha e Aeronáutica, está ocorrendo substituição do quadro de efetivos para temporários. Isso pode ocasionar um ‘risco de colapso’ no país.
Além de baixas no Exército, o governo estuda alterar o quadro de integrantes da Marinha e Aeronáutica. O novo documento estipulado pelo governo reduzirá, até o momento, de 154 para 147 generais.
Segurança
O presidente decidiu reforçar a sua segurança e de outros parlamentares em tempos de denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) e chantagens do Congresso. O peemedebista tem andado desconfiado ultimamente, segundo informações.
Por determinação dele, será reforçada a segurança e incrementado um sistema de monitoramento eletrônico do AeroTemer, pois o tempo inteiro carrega parlamentares investigados e que sabem de informações preciosas para investigações.
Uma câmera que capta imagens no escuro será utilizada no Palácio do Planalto. O governo investirá até R$ 14 mil em equipamentos de segurança para modernizar a rede de proteção dentro dos aviões que Temer utiliza.
Fidelidade
Temer permanece muito forte no Congresso. Nos últimos 14 meses, ele tem conseguido manter uma alta fidelidade e isso tem o ajudado a se livrar de denúncias protocoladas contra ele. Em média, 75% dos congressistas estão ao lado de Temer.
Os próximos episódios de acusações contra ele, poderão ser levadas tranquilamente com a força de seus aliados. Porém, longe do Congresso, ele possui uma baixíssima popularidade.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Geral'

Cadeia produtiva de hortaliças ganha mapeamento de 13 culturas

O Anuário Brasileiro da Agricultura Familiar

Luiz Fux é eleito para substituir Gilmar Mendes na presidência do TSE

Unicef diz que há 95 milhões de crianças sem registro

Curso de homeopatia contribui para produção sustentável

Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais

Indicador de emprego da FGV chega a 103,9 pontos

Crescimento nos próximos anos será mais equilibrado entre setores, diz ministro

Escola do Trabalhador disponibiliza mais três cursos

Em vez de remédio contra Aids, fábrica financiada pelo Brasil produzirá analgésico

Mais Destaques

Variedades e Gente

Saiba em quais profissões apostar em 2018

Cultura

Conferência aprova propostas para a cultura e aclama os novos conselheiros

Gente X Poder

Abuso de poder pode cassar vereador em Toledo

Cidade

Empresária acusa o Vereador Airton Paula (Savelo), (PTB) de ameaçar fechar sua empresa, se prevalece

Regional

Santa Terezinha de Itaipu vai capacitar catadores de resíduos

"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)