Regional

Setor automotivo no Paraná é o que mais gera emprego no País

| 06/10/2017 - 21:00

Setor automotivo no Paraná é o que mais gera emprego no País

O polo automotivo no Paraná foi o que mais gerou empregos com carteira assinada no setor nesse ano no País. Levantamento do Observatório do Trabalho, da Secretaria de Estado de Justiça, Trabalho e Direitos Humanos com base nos dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged) mostra que, sozinho, o Paraná respondeu por 29% das contratações no segmento no Brasil. Das 6.193 vagas criadas em todo País de janeiro a agosto, o Paraná foi responsável por 1.775.
O Paraná foi o único, entre os principais polos automotivos do país, a ter saldo positivo de emprego. O resultado entre admitidos e demitidos nas fábricas de automóveis, caminhões e utilitários foi positivo em 1.327 empregos formais nos primeiros oito meses do ano.
São Paulo, que tem o maior parque industrial do setor, mais demitiu que contratou e registrou um saldo negativo de 1.365 empregos. Minas Gerais também foi nessa linha, com a perda de 1.540 vagas. O Paraná é o segundo maior polo automotivo em receitas e o terceiro em produção do País. O setor emprega 44,7 mil pessoas no Estado.
Investimento e exportação
Investimentos, retomada do mercado interno e aumento das exportações ajudam a explicar o desempenho melhor que a média brasileira. “O Paraná é um exemplo da diversificação do setor automotivo, que décadas atrás era concentrado no ABC paulista. O investimento em novas fábricas, com incentivos e mão de obra qualificada, fizeram o Estado ganhar destaque na produção no País”, diz a economista Suelen Glinski Rodrigues dos Santos, do Observatório do Trabalho.
Concentrado na região de Curitiba e em Ponta Grossa, o polo automotivo do Estado cresceu nos últimos anos, sustentado pelo programa do Governo do Estado de incentivos Paraná Competitivo. Entre 2011 e 2016, somente as montadoras de automóveis e caminhões já investiram R$ 4,2 bilhões em novas fábricas e linhas de produção no Paraná. Entre janeiro de 2011 e agosto de 2017, o Paraná respondeu por 10% das contratações do setor automotivo no País, com 7.596 admissões.
Nesse ano, a Renault, com apoio do programa estadual de incentivos, anunciou R$ 750 milhões para uma nova fábrica de injeção de alumínio e na expansão da sua unidade de motores em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.
“O setor vem se recuperando, tanto no mercado interno quanto nas exportações. E as fábricas do Paraná já trabalhavam, durante a crise, com índices de ociosidade mais baixos que as demais. Por isso a retomada da produção e do emprego é mais rápida aqui”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor presidente do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social).
Produtividade - Para Suzuki Júnior, a alta produtividade do parque automotivo no Paraná é outro fator que ajuda a explicar o aumento nas contratações. “O setor automotivo no Paraná é considerado o mais produtivo do País, graças à oferta de mão de obra mais qualificada, fábricas relativamente novas e investimentos em capacitação. Como já trabalham com altos índices de produtividade por funcionário, a saída para ampliar produção é contratar”, diz.
De acordo com ele, esse quadro é diferente em outros Estados que têm fábricas mais antigas. “Nessas indústrias, ainda há espaço para aumentar a produtividade, ou seja, é possível ampliar a produção sem alterar o número de empregados”, acrescenta.
Embarques - As exportações também têm ajudado a gerar mais empregos no chão de fábrica. Para compensar a retomada mais lenta no mercado interno, as montadoras vêm direcionando uma fatia cada vez maior da produção para as exportações, principalmente para a Argentina. “No ano passado, exportamos 35% da nossa produção. No primeiro semestre aumentamos nossas exportações em 60% com relação ao ano passado. Contratamos 700 pessoas há três meses para o terceiro turno e operamos muito próximo da nossa capacidade máxima”, disse Olivier Murguet, presidente da Renault América Latina, durante o anúncio da ampliação de investimentos no Paraná, no início de agosto.
De janeiro a agosto, as montadoras de automóveis do Estado exportaram US$ 653,4 milhões - 89% mais do que nos primeiros oito meses de 2016, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) ligada ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Os embarques de autopeças cresceram 52,5%, chegando a US$ 186,13 milhões, e de veículos de carga aumentaram 56,8% -atingindo US$ 294,5 milhões
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Regional'

Diagnóstico avaliou o modelo e a maturidade da gestão de micro e pequenas empresas Com o desafio de

Decoração encantadora desperta espírito natalino em Maripá

MTE divulga lista de maripaenses que tem direito a sacar o PIS/PASEP

Prorrogadas as inscrições para seminário internacional sobre água e direitos humanos

Radar meteorológico japonês é instalado no Paraná

Orquestra de Cordas Sinfonia Brasil realiza concerto gratuito em Cascavel

Proerd forma 77 alunos da rede municipal de Maripá

Protesto de agricultores contra demarcações de terras indígenas

Cantata Natalina e luzes marcam início da programação de Natal

Natal Encantado chega no dia 12 a Marechal Rondon

Mais Destaques

Gente X Poder

Abuso de poder pode cassar vereador em Toledo

Variedades e Gente

Saiba em quais profissões apostar em 2018

Cultura

Conferência aprova propostas para a cultura e aclama os novos conselheiros

Cidade

Empresária acusa o Vereador Airton Paula (Savelo), (PTB) de ameaçar fechar sua empresa, se prevalece

"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)