Artigos

Empreendedores brasileiros precisam de mentores

| 05/10/2017 - 21:00

De acordo com pesquisas recentes, 34 em cada 100 brasileiros adultos (com idades entre 18 e 64 anos) possuem uma empresa ou estão envolvidos com a criação de um negócio próprio. Empreender é considerado um dos três maiores sonhos dos brasileiros, ficando atrás somente de ter uma casa própria e de viajar. Mesmo com os números expressivos, ainda falta capacitação e foco para os nossos empreendedores, problemas que poderiam ser superados com os programas de mentoria, uma prática muito comum em países desenvolvidos.
Não são poucas as vezes em que boas ideias acabam não saindo do papel devido a falta de orientação e apoio para quem ainda não tem experiência de mercado. Existem ideias que são muito boas para um novo negócio, mas que encontram uma dificuldade inicial em como fazer e se estruturar. Ou seja, o sonho acaba ficando no papel, e quando sai sem uma base sólida desaba nas primeiras dificuldades. É cada vez mais necessário que exista uma troca de experiência entre jovens empresários e empreendedores mais “calejados” para estimular o surgimento desses novos negócios.
É muito comum encontrarmos empreendedores sem noção alguma, por exemplo, de desenvolvimento pessoal, segmentação e mercado, estruturação financeira, modelo de negócio e marketing. São assuntos fundamentais para quem quer ter uma empresa de sucesso. Essa falta de conhecimento acaba resultando no fracasso de milhares e milhares de projetos que teriam uma grande chance de desenvolvimento satisfatório caso fossem melhores orientadas.
Em países da Europa e nos Estados Unidos, é muito comum encontramos casos em que empresas de destaque nos mais variados segmentos contaram com a ajuda especial de profissionais experientes, que em um processo de mentoria conseguiram fornecer informações valiosas a partir de sua vivência no mercado. O mentor, antes de tudo, consegue gerar percepções e soluções reais de mercado, habilitando o jovem empreendedor para lidar corretamente com seus colaboradores, promovendo networking, aconselhando em momentos de gestão de crise e desenvolvendo um planejamento coeso. Ou seja, essa parceria traça processos fundamentais para o crescimento de uma empresa em um mercado cada vez mais competitivo.
Além de ferramentas para aproximar jovens e empreendedores experientes, é fundamental que os brasileiros entendam que a consolidação de ideias e empresas é extremamente positivo para o mercado. Todos acabam crescendo juntos. Dessa maneira, veremos cada vez mais profissionais com vivência empreendedora interessados em compartilhar seus conhecimentos com jovens que têm ótimas ideias, mas que precisam aprender superar obstáculos. Talvez não seja a solução para todos os problemas dos empreendedores novatos, mas com certeza teremos pessoas mais preparadas e “calejadas” para lutar por seus projetos e ideais.
Kauana Vissotto é gestora do projeto Jovem Empresário
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Artigos'

Perfil comportamental

Escolas refletem o mundo exterior

Ausência de grandes empresas na Expo Toledo merece respostas

Um banquete para todos os povos

15 de Outubro — Dia do Professor

Por que os professores de Humanas são de “esquerda”?

Ódio de classe

Voto de Faxina

Os três “E”s do século 21

Concessão de Cidadania Honorária - Comunicado

Mais Destaques
"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)