AgroGazeta

Brasil deve colher 238 milhões de toneladas de grãos na safra 2016/17

| 12/09/2017 - 22:00

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou ontem (12) que estima uma colheita de 238,7 milhões de toneladas de grãos para a safra 2016/17. O número representa um crescimento de 27,9% em relação a 2015/2016 . A área plantada também aumentou em 4,4%, chegando a 60,9 milhões de hectares. O crédito rural e o clima são fatores apontados como diferencias positivos para o resultado final.
O presidente da Conab, Marcelo Bezerra, explica que o crescimento da produtividade deveu-se a fatores como “a disponibilização do crédito no momento certo, o comportamento dos custos de produção no momento do plantio, o clima e a tecnologia”.
Segundo o estudo da Conab, a produção do milho primeira safra é de 30,46 milhões de toneladas, com crescimento é de 18,3%, com relação à colheita anterior. Já para a segunda safra, a estimativa é que atinja 67,25 milhões de toneladas.
No setor da soja, que é o grão mais produzido no país e representou 13,72% de toda a exportação brasileira em 2016, a expectativa para este ano é que a colheita chegue a 114 milhões de toneladas.
O feijão também teve forte alta na produção. Com produção de 1,36 milhão de toneladas na primeira safra, e 1,2 milhão na segunda, a expectativa é que o setor atinja 836,3 mil toneladas na terceira safra. De acordo com a Conab, o aumento expressivo na produção do grão acontece pelo aumento de 17,2% na área de produção.
Já o trigo, com redução de 9,5% na área semeada, teve uma ligeira queda de produção. No entanto, estima-se que o setor produza 5,19 milhões de toneladas. A transição de fase vegetativa e o clima são fatores que cooperam com a queda da safra.
Para o diretor da secretaria de política agrícola, Silvio Farnese, os números apresentados hoje mostram o aumento da produtividade. “O número de 238,7 milhões de toneladas na safra de grãos representa o crescimento de quase 30% na produção e apenas pouco mais 4% área plantada. O padrão tecnológico e o conhecimento que o produtor tem hoje são fatores que cooperam com esses dados”, afirmou.
Logística
Apesar da alta produção, o país ainda tem limitações para o escoamento da safra. “Nossos portos melhoraram, mas ainda temos alguns gargalos, sobretudo na região Norte. O custo do frete com distâncias acima de 3 mil quilômetros é muito alto. Diminuir esse custo é um desafio”, disse Farnese.
A Conab também alerta para a necessidade de cuidados especiais com produtos que ficarão estocados por mais tempo, para evitar o desperdício.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'AgroGazeta'

Falta de chuvas já traz prejuízos para lavouras de trigo em SC

Fundo de investimento aporta até R$ 5 milhões para empresas com tecnologia Embrapa

Governo argentino retira taxa sobre importação de carnes do Brasil

IAP regulamenta licenciamento ambiental para estações chaves

Coamo reúne 1.500 mulheres cooperativistas no evento Famíliacoop

Chuvas voltam em boa parte do país a partir do fim do mês

Estudos mostram que é possível reduzir uso de agrotóxicos

Paraná lidera produção de proteína animal no País

Concurso escolhe os melhores queijos artesanais do Paraná

Governo desiste de ação contra ruralistas e pode perder R$ 17 bi

Mais Destaques
"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)