Cidade

PARANÁ SE PREPARA PARA REQUERER SUSPENSÃO DA VACINAÇÃO

| 21/08/2017 - 21:30

A Secretaria da Agricultura e Abastecimento e a Agência de Defesa
Agropecuária do Paraná (Adapar) solicitaram ao Ministério da
Agricultura, Pecuária e Abastecimento uma auditoria para atestar o
Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação. “Se tudo der
certo, esperamos fazer a última campanha de vacinação contra febre
aftosa em maio de 2018”, afirma o secretário da Agricultura e
Abastecimento, Norberto Ortigara.

A medida é consenso nas lideranças das cadeias produtivas de proteína
animal no Paraná como bovinos, suínos, aves, leite e peixes. “Os
líderes decidiram, em conjunto, suspender a campanha de vacinação no
ano que vem”, complementou.

De acordo com Ortigara, ao tornar o estado área livre da doença sem
vacinação, o objetivo é alcançar mercados mais disputados e
valiosos, um desafio que provocará uma transformação no setor
produtivo de proteínas animais no Paraná. “Temos que deixar de usar
ferramentas antigas e partir para a inteligência no controle
sanitário”, defendeu.

“65% do mercado suíno no mundo não compra carne suína do Brasil
porque o país ainda vacina contra febre aftosa. Não conseguimos
acessar mercados importantes como Japão e Coreia do Sul, que só
compram carne suína de países sem vacinação contra aftosa”,
complementou.

PROCESSO - De acordo com o diretor-presidente da Adapar, Inácio Afonso
Kroetz, a agência está trabalhando com a expectativa de ter
condições para que seja possível recomendar tecnicamente, e com
segurança, a suspensão da vacinação contra a febre aftosa. E que o
prazo entre a retirada da vacinação e o reconhecimento nacional e
internacional seja o menor possível.

Historicamente, os índices de vacinação contra a febre aftosa no
Paraná estão acima de 95% e as propriedades com avicultura e
suinocultura comercial estão todas georeferenciadas, bem como 92,38%
das propriedades cadastradas com bovinos. A meta é atingir 100% de
georeferenciamento nas propriedades com bovinos até o final de
novembro.

“Os resultados da auditoria são decisivos para os encaminhamentos
oficiais da condição para a suspensão da vacinação e o
reconhecimento de Zona Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação”, disse
Kroetz.

PREPARAÇÃO - Os preparativos para almejar o status pleiteado vêm
sendo construídos ao longo dos anos, seguindo normas e recomendações
tanto pelo Mapa como pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE),
responsáveis pelo reconhecimento nacional e internacional.

Recentemente, o Governo do Paraná autorizou a contratação de mais 35
médicos veterinários remanescentes de concurso realizado em 2014. Eles
complementarão a ocupação necessária em postos de trabalho
estratégicos para a defesa sanitária agropecuária animal no Estado.
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

Cota única da parcela do IPTU deve ser paga até dia 12 de março

Nova coordenadora assume Núcleo Multissetorial da Mulher Empresária

Certi Pioneiro retorna com atividades nesta sexta-feira

CNMP apresenta proposta para ocupantes de cargo em comissão no MP

Núcleo de Gastronomia se prepara para renovar selo de qualidade

Paraná altera base de cálculo do ICMS de medicamentos

Saúde realiza audiência pública quadrimestral para prestação de contas

Convênio oferta atividades em contraturno escolar na rede municipal

Inscrições para vagas de curso sobre Inovação encerram dia 11/03/18

Radar portátil passa por aferição do Inmetro

Mais Destaques

Regional

Projeto-piloto da Caciopar dá novo impulso a SPCs de cidades do Oeste

Geral

Cresce abertura de novas empresas no Brasil

Gente X Poder

Teto baixo ou teto ALTO?

Economia

Mais de mil contribuintes que aderiram ao Novo Refis estão irregulares

Política

Brasil cai 17 posições em ranking global de corrupção

Cultura

AMOP lança projeto cultural para 54 cidades da região

AgroGazeta

Frota dos Alimentos Coamo com nova plotagem é apresentado

Variedades e Gente

Ação Social promove Almoço Italiano

"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)