Política

Inquérito investiga o governador do Paraná Beto Richa

| 11/08/2017 - 21:20

Inquérito investiga o governador do Paraná Beto Richa

A Procuradoria-Geral da República (PGR) começou a ouvir nesta quinta-feira (10) as primeiras testemunhas em um inquérito que apura supostas irregularidades que teriam sido cometidas pelo governador do Paraná Beto Richa (PSDB). Há indícios de que o tucano tenha beneficiado uma empresa que fez negócios com a família dele, ao assinar um decreto para liberar construções comerciais às margens da BR-277, em Paranaguá, no litoral do estado.
Os depoimentos foram prestados à PGR na tarde desta quinta-feira. Foram ouvidos o presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Tarcísio Mossato Pinto, o chefe do departamento de licenciamento e atividades florestais do IAP, Venilton Pacheco Mucillo, e o empresário Theodócio Jorge Atherino, sócio da empresa Green Logística.
O inquérito foi autorizado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O caso já é investigado em primeira instância, em Paranaguá. Cinco pessoas respondem ao processo.
Segundo as investigações, a Green Logística foi a empresa beneficiada com o decreto assinado por Richa. Em novembro de 2013, a empresa pediu ao IAP uma licença prévia, para construir um estacionamento de caminhões, em uma área de mata atlântica, às margens da BR-277. O local fica próximo ao Porto de Paranaguá. Um mês depois, a Green Logística comprou o terreno onde pretendia construir a obra.
No mês seguinte, Richa asssinou o decreto, considerando de interesse público o eixo modal de Paranaguá, que incluía a área do estacionamento. O texto diminuiu as restrições ambientais para o funcionamento de postos de combustíveis, armazéns e estacionamentos, mas o Ministério Público diz que essas atividades não são reconhecidas como de utilidade pública, nem de interesse social.
Em fevereiro de 2014, com base no decreto de Richa, o IAP concedeu a licença prévia à Green Logística e a empresa começou a desmatar uma área de aproximadamente 13 hectares, para iniciar a obra. A licença, porém, foi suspensa, a pedido do Ministério Público.
De acordo com o Ministério Público do Paraná, que iniciou as investigações, a Green Logística não cumpriu as exigências para começar a obra, mas ainda assim obteve a autorização do IAP. O relatório de vistoria foi assinado por Venilton Pacheco Mucillo, que foi ouvido nesta quinta.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Política'

Ex-juiz federal do Paraná tem aposentadoria cassada

Eunício afirma que salário mínimo terá pelo menos a correção da inflação

PMDB retoma processo para mudar nome e voltar a se chamar MDB

Distritão impede renovação, favorece políticos conhecidos e restringe minorias

Nova meta de déficit fiscal será anunciada nesta quarta-feira

Moro defende “vontade política” para que medidas anticorrupção avancem

Reforma política: entenda o que pode mudar na eleição de 2018

Inquérito investiga o governador do Paraná Beto Richa

TCE, TJ e TRE vão integrar ações para avaliar as candidaturas em 2018

Raquel Dodge se expôs ao se encontrar com Temer fora da agenda

Mais Destaques

Esporte

Sadia participa de Brasileiro Juvenil e Pré-Infantil de GR

Cidade

Núcleo de Marcenarias discute criação de Selo de Qualidade

"O número de acidentes no trânsito de Toledo cresceu 28,5%, no comparativo entre janeiro deste ano e o mesmo período do ano passado, de acordo com dados pela PM (ver gráficos). Toledo está na contra-mão do estado que, reduziu em 23% os números nos mes"
(Redação)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)