Cultura

A importância de um idioma

| 19/05/2017 - 20:50

A importância de um idioma

O idioma falado por um povo, além de seu patrimônio cultural imaterial, é também um dos aspectos que constitui sua identidade. A língua é fundamental para a comunicação e expressão de todos os povos do mundo. É um organismo vivo e dinâmico, que caracteriza e personaliza uma nação. Devido a sua importância alguns países celebram o Dia da Língua Nacional e aqui no Brasil a data é comemorada neste domingo, 21 de maio.
Em nosso país falamos o português (ou língua portuguesa) idioma que herdamos dos portugueses, principais responsáveis pela colonização do Brasil. Porém, o português falado pelos brasileiros é diferente do idioma falado em Portugal, pois sofreu ao longo de séculos influência de outros povos, nativos e estrangeiros.
Com a chegada dos europeus, a partir de 1500, as línguas indígenas passaram a ser faladas também pelos colonizadores portugueses, que aqui adotaram um idioma misto baseado na língua Tupi. Somente no século XVIII o português tornou-se o idioma oficial do Brasil. Com o passar do tempo, nossa língua também foi influenciada pelos povos africanos que para cá foram trazidos durante o período da escravidão e por outros imigrantes que contribuíram e ainda hoje se somam na construção da cultura brasileira, como japoneses, árabes, italianos, alemães, ingleses, franceses, espanhóis e tantos outros. Graças a essa pluralidade nos apropriamos de um idioma híbrido, que é só nosso. Portanto, temos um legítimo e significativo motivo para celebrar o Dia da Língua Nacional.
Origem da data
Atualmente a língua portuguesa é o sexto idioma mais falado do planeta e São Paulo, com mais de 10 milhões de habitantes, é considerada a cidade com o maior número de falantes de português em todo o mundo. Por esse motivo a capital paulista abriga o Museu da Língua Portuguesa, o único existente do gênero. Inaugurado em 20 de março de 2006, esse museu inspirou um movimento da sociedade civil, que buscava valorizar o diálogo, a diversidade cultural e a liberdade de expressão em nossa comunicação. Em decorrência desse apelo, foi instituído dois meses depois, em 21 de maio, o Dia da Língua Nacional.
Será que uma língua tem certidão de nascimento?
De acordo com o Museu da Língua Portuguesa, em que pese as controversas, alguns historiadores e linguistas consideram o testamento do Rei Afonso II, de Portugal, como o primeiro documento oficial, datado e redigido em português. O texto é de 27 de junho de 1214.
A língua se transforma e acompanha a evolução da sociedade, mas existem alguns grupos de indivíduos que não participam do processo social comum. São pessoas que não acessam as experiências sociais das quais a maior parte de nós participamos. Isso pode acontecer com os analfabetos, que não interagem socialmente mediante a escrita e a leitura, e com os surdos e mudos, que não conseguem se exprimir através da oralidade.
Para promover a inclusão social desses grupos, algumas iniciativas vêm sendo tomadas, como a adoção de medidas que reconheçam e protejam seus direitos. Buscando atender as pessoas que possuam deficiência auditiva, por exemplo, os governos tentam efetivar algumas leis.
Você sabia que o Brasil é um país bilíngüe?
O país passou a ter dois idiomas depois que a LIBRAS – Linguagem Brasileira de Sinais – foi reconhecida como língua oficial do Brasil. A Linguagem de Sinais foi reconhecida pela Lei Federal 10.436, sancionada em 2002, e regulamentada pelo Decreto Presidencial 5.626, de 2005.
Apesar da oficialização da LIBRAS como idioma, ainda são muitos os obstáculos que as pessoas surdas e mudas enfrentam em todo país. São entraves que vão desde a comunicação dentro de casa com os próprios familiares, passando pelo aprendizado nas escolas e chegando a dificuldade de se relacionar com o restante da sociedade.
A cidade de Toledo conta com a Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos e Surdos – APADA – que oferece o curso de LIBRAS para os portadores de necessidades especiais e para qualquer morador que queira aprender a Linguagem de Sinais. Seu telefone é (45) 3378-1828.
A Diretora da APADA, Denize Debus de Mello, lembra que os deficientes auditivos e surdos se deparam cotidianamente com barreiras, que muitas vezes são criadas pelo poder público. A prefeitura de Toledo, por exemplo, não consegue por em prática um mecanismo criado por ela mesma para ajudar essa parcela da população. A Lei “R” N° 74, de 2009, institui o Programa de Treinamento da LIBRAS para os servidores municipais, mas nunca formou nenhuma turma.
Por fim, a Diretora nos propõe uma reflexão: “Todos se preocupam em aprender o inglês e em todas as escolas há a disciplina de inglês. Mas, e a LIBRAS, que é idioma oficial, que é nossa língua?”
Nossas duas línguas são muito importantes para o respeito e fortalecimento da nossa cultura.
Fernando Baldi Braga

Galeria de fotos
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cultura'

Toledo receberá Projeto Integrado de Música e Dança

Árvorere, o manifesto cênico do TUCCA será apresentado em Toledo

CEU das Artes promove Slam Poesia

Balaio de histórias promove oficina nesse sábado no Sesc

“Balaio de histórias” começa hoje no Sesc Toledo

“Um tom para Jobim” neste sábado no Centro Cultural Gilberto Mayer

Em defesa da profissão de artista, ministro vai ao STF

Acit entrega doações à Secretaria Municipal de Cultura

‘‘Hoje é Dia de Rock’’ será apresentado em Toledo

Feira do Artesanato de Toledo será neste sábado

Mais Destaques
"ultrapassamos os 13 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)