AgroGazeta

Produtor de TO exporta feijão-caupi para a Índia

| 17/05/2017 - 22:00

Cultura tem custos baixos, entra na sucessão da soja e produtividade esperada em 25 sacas por hectare. Caupi tem buscado consolidar não só mercados de exportação, como também alternativas no consumo doméstico. Entre alguns desafios, a presença das lagartas ainda exigem atenção e adequação do manejo.
O produtor Dari Fronza, que produz em Silvanópolis (TO), colhe os bons resultados obtidos com sua lavoura de feijão caupi, da variedade Nova Era. Em um momento de preços baixos em outros cultivos, essa se torna uma alternativa interessante para a safrinha.
Entretanto, o feijão de Fronza já tem destino certo: antes de plantar, ele já havia firmado contrato de exportação para a Índia.
A expectativa, portanto, é de um bom retorno. A produção tem um baixo custo, já que não precisa de adubação - assim, mesmo com o contrato pagando R$70 por saca, o produtor terá rentabilidade.
A produtividade gira em torno de 20 sacas por hectare, mas a expectativa é que, até o final da colheita, a média suba para 25 sacas por hectare. A renda gerada é maior do que a soja. Fronza está há um ano no estado e possui uma área total de 3000 hectares.
O engenheiro agrônomo Marlon Knoll aponta que a tendência é que essas áreas tenham um pouco mais de aparecimento de lagartas, “mas nada que seja expressivo”, pois o controle é mais fácil no feijão do que na soja.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'AgroGazeta'

Coamo tem receita global de R$ 11,07 Bi e distribui R$318 mi em sobras aos seus mais de 28 mil assoc

Chuva pode afetar colheita da soja na maior parte do Brasil

Plataforma otimiza uso de recursos hídricos em bacias hidrográficas

Demanda interna fraca e queda nas exportações de carne suína

Produtores de milho estão com um olho no silo e outro na safrinha

Malásia virá ao Brasil em junho para habilitar plantas frigoríficas, diz ministério

Encontro de verão reúniu cooperados de toda área de ação da Coamo

Agroindústrias de Cascavel receberam selo de origem familiar

Arábia saudita e China reaquecem compras e elevam exportação

Show Rural Coopavel: lançamentos da Embrapa atraíram os produtores

Mais Destaques
"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)