AgroGazeta

Sul-coreanos visitam frigoríficos de Santa Catarina

| 15/05/2017 - 22:00

A partir de hoje, terça-feira, 16, técnicos da Coreia do Sul irão inspecionar unidades produtoras de carne suína em Santa Catarina. As visitas de inspeção estrangeiras marcam a última fase do processo de abertura do mercado sul-coreano antes da exportação de carne suína catarinense para o país asiático.
Os sul-coreanos visitarão frigoríficos e unidades de processamento de carne suína da Pamplona Alimentos, em Presidente Getúlio, na terça-feira; da BRF, em Campos Novos, na quarta-feira, 17; da Cooperativa Central Aurora Alimentos, em Chapecó, na quinta-feira, 18; e da Seara Alimentos; em Seara, na sexta-feira, 19. Segundo o Secretário de Assuntos Internacionais, Carlos Adauto Virmond, a expectativa do Governo do Estado é muito positiva em relação às inspeções. “Estamos muito otimistas de que as unidades visitadas receberão a maior nota”, declarou Vimond.
O Secretário acredita que o processo de abertura do mercado sul-coreano seja concluído nos próximos meses com início das exportações ainda no segundo semestre deste ano. A Coreia do Sul é o quarto maior exportador de carne suína do mundo. “Isso pode representar um acréscimo de até 30% no volume de exportação de carne suína e derivados de Santa Catarina e, sem dúvida nenhuma, terá reflexos muito positivos em toda a cadeia produtiva catarinense”, prevê.
O status sanitário é o diferencial de Santa Catarina, de acordo com o Secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa. “As exportações para mercados mais competitivos, como Japão e Coreia do Sul, provam que o nosso status sanitário diferenciado e a qualidade de nossos produtos trazem resultados efetivos, principalmente com a receita de nossas exportações. Todo o esforço dos produtores, setor público e iniciativa privada na busca da excelência sanitária está de fato gerando lucros”, ressalta Sopelsa.
A delegação da Coreia do Sul será composta de dois funcionários da Agência de Quarentena Animal e de Plantas e dois funcionários do Ministério de Segurança de Alimentos e Medicamentos. Na sexta-feira, 12, o grupo se reuniu com técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, em Brasília. Um novo encontro com o mesmo grupo será realizado na quarta-feira, 24. Pelo lado catarinense, técnicos da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina – Cidasc acompanharão as visitas e o corpo técnico da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca estará à disposição para esclarecimentos.
A vinda dos técnicos da Coreia do Sul e a confirmação de que o país asiático irá comprar carne suína catarinense foram informadas ao Governador Raimundo Colombo em julho de 2016 pelas autoridades sul-coreanas em Seul. “A missão internacional de Colombo à Coreia do Sul foi decisiva para que a abertura daquele mercado ganhasse um impulso”, lembra o Secretário Virmond.
Na ocasião, os catarinenses retornaram com uma previsão de data para as inspeções em novembro daquele ano. A vinda foi suspensa por questões de política interna na Coreia do Sul. “O governo de Santa Catarina em parceria com a Embaixada do Brasil em Seul garantiu uma nova data para março deste ano”, diz Virmond. A agenda foi novamente cancelada devido à Operação Carne Fraca. “Santa Catarina agiu rápido para demonstrar a qualidade da sua produção e mantivemos acesso o interesse dos sul-coreanos pelos nossos produtos. Agora vamos recebê-lo certos de que seremos bem avaliados”, concluiu Virmond.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'AgroGazeta'

Coamo tem receita global de R$ 11,07 Bi e distribui R$318 mi em sobras aos seus mais de 28 mil assoc

Chuva pode afetar colheita da soja na maior parte do Brasil

Plataforma otimiza uso de recursos hídricos em bacias hidrográficas

Demanda interna fraca e queda nas exportações de carne suína

Produtores de milho estão com um olho no silo e outro na safrinha

Malásia virá ao Brasil em junho para habilitar plantas frigoríficas, diz ministério

Encontro de verão reúniu cooperados de toda área de ação da Coamo

Agroindústrias de Cascavel receberam selo de origem familiar

Arábia saudita e China reaquecem compras e elevam exportação

Show Rural Coopavel: lançamentos da Embrapa atraíram os produtores

Mais Destaques
"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)