Editorial

Lúcio acertou ao retirar projeto contra os servidores

Sérgio Ferreira | 21/02/2017 - 00:01

Lúcio acertou ao retirar projeto contra os servidores

Existem situações em que desgastes desnecessários poderiam ser evitados. Exemplo claro disso foi a recente celeuma em torno do Projeto de Lei 13/2017 enviado com urgência à Câmara de Vereadores de Toledo pelo prefeito Lúcio de Marchi. Nele o prefeito fazia proposta que alterava o Estatuto dos Servidores Municipais com prejuízos para a categoria. O projeto foi encaminhado sem consulta ao sindicato e provocou imediata revolta entre os servidores públicos. Após quase um mês de um vai e vem embaraçoso, o ‘super secretário’, Alceu Dalbosco tomou a frente da situação e deu fim ao impasse: o projeto foi retirado de pauta e arquivado.
Dalbosco percorreu o caminho correto ao reunir-se com os Sindicato dos Servidores Municipais de Toledo (SerToledo) e junto com vereadores pró e contra o projeto discutir a possível negociação com a categoria. Ouviu da direção do sindicato que ‘em direito adquirido não se mexe’ e que a decisão só poderia ser tomada depois de uma Assembleia com a participação dos servidores. O secretário soube entender o recado e para evitar desgaste maior recomendou ao prefeito que retirasse o projeto. Lúcio prontamente acatou e ficou a cargo dos vereadores Vagner Delabio (PSD), a favor do projeto, e Leandro Moura (PSL), contra, comunicar ao sindicato a decisão final.
É preciso elogiar, mesmo após tanta insistência de fazer errado, que a adminstração municipal acertou. Não existe problema algum em recuar quando se percebe que as coisas não estão corretas. Embarcar no caminho da teimosia é sempre pior. Com as novas tecnologias, que permitem a difusão da informação quase que instantaneamente para todas as pessoas, é cada vez mais difícil enganar por muito tempo. A informação corre rápido e na mesma velocidade as reações acontecem. Por isso, o melhor caminho vai ser sempre o do diálogo e do respeito ao Estado Democrático de Direito. Insistir por atalhos é correr riscos desnecessários e de alto custo político e até econômico nas esferas públicas. Afinal, neste caso uma greve poderia prejudicar não apenas os cofres públicos, mas principalmente o atendimento à população.
Cada vez mais a sociedade vai se posicionar com argumentos difíceis de serem rebatidos, quando se está com a razão. Por outro lado, tanto os vereadores de oposição, como alguns que estão aparentemente na situação, não vão concordar que as coisas aconteçam no velho estilo ‘goela abaixo’.
Assim também vai agir parte da imprensa que preza em exercer o papel de manter o ‘olhar da sociedade’ sobre os poderes constituídos. É o caso desta Gazeta de Toledo que deu amplo espaço para levar ao público os bastidores e passos que o Projeto 13 percorria. Estivemos e estaremos sempre atentos para fiscalizar, cobrar, mas também saberemos reconhecer os acertos. Este é um belo exemplo em que prefeito e equipe merecem os parabéns pela forma democrática de resolver o impasse, ao menos no final. Foi uma decisão sábia e elogiável!

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Editorial'

Nota de Repúdio

Mais Destaques
"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)