Economia

Inflação para famílias com renda mais baixa fecha 2016 em 6,22%

| 06/01/2017 - 00:01

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), que mede a inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos, fechou 2016 com uma taxa de 6,22%. A taxa é inferior aos 11,52% de 2015, segundo dados divulgados hoje (5) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).
O IPC-C1 ficou, no entanto, acima dos 6,18% registrados pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda.
Entre os grupos de despesas analisados pelo IPC-C1, as maiores taxas de inflação de 2016 vieram de despesas diversas (11,21%), saúde e cuidados pessoais (9,73%) e educação, leitura e recreação (8,88%).
Os alimentos tiveram inflação de 7,1% e os transportes, de 7,8%. As menores taxas foram observadas em habitação (2,9%), comunicação (3,1%) e vestuário (3,59%).
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

Reforma da Previdência: se aprovada, o que irá mudar

Presidente do BNDES defende incentivo aos investimentos públicos e privados

Motoristas abririam mão de automóvel se houvesse transporte público de qualidade

SPC Brasil lança aplicativo para o consumidor

Indústria 4.0 saltará de 1,6% para 21,8% das empresas em uma década, diz pesquisa da CNI

Novo indicador de bem-estar financeiro

Mercado financeiro volta a prever inflação abaixo da meta: 2,88%

59,9 milhões de brasileiros estão com o nome negativado

Indicador de emprego da FGV chega a 103,9 pontos

Crescimento nos próximos anos será mais equilibrado entre setores, diz ministro

Mais Destaques
"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)