Cidade

Biopark irá gerar 30 mil empregos até 2050 e terá parcerias

| 23/09/2016 - 00:01

O Biopark - Parque Científico e Tecnológico de Biociências, que é um projeto ambicioso e gigantesco pretende gerar 30 mil empregos até 2050, e terá as parceiras da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Unioeste. Hoesp e Unimed. O lançamento do projeto aconteceu nessa quinta-feira, 22, no Olinda Hotel e Eventos. Antes da apresentação do Biopark para as autoridades políticas, civis e convidados, o casal Luiz e Carmen Donaduzzi, fundadores da Prati-Donaduzzi, uma das maiores indústrias farmacêuticas do país concederam uma entrevista coletiva a imprensa.
Luiz Donaduzzi comenta que o primeiro objetivo do Biopark é a geração de empregos. “A ideia é desenvolver 30 mil postos de trabalho no longo prazo. Estamos começando nesse momento a gerar empregos e incentivamos as pessoas a estudarem e quando se consegue trabalhar e estudar se passa por outro nível sociocultural e o fator econômico é consequência dessa melhora e com isso teremos uma sociedade mais justa. Queremos trazer jovens de todo o país e que não tenham oportunidades onde moram”, diz.
A segunda grande finalidade desse projeto é a produção de produtos para a saúde de alta qualidade e com preços mais justos. “O parque será científico e terá uma área de pesquisa e também é tecnológico. Estamos entrando na era do conhecimento. A nossa ideia é que os jovens trabalhem na área do conhecimento para gerar empregos e façam produtos para a saúde. Precisamos de outras estruturas e da indústria e queremos trazer empresas de outros países ou do Brasil já consolidadas e ainda iniciar Stand Up, empresas que alguém teve uma ideia e coloque em funcionamento e teremos no parque, incubadoras para que nós possamos gerar empresas ao redor”, afirma Luiz Donaduzzi.
Ele disse que a Prati trata diariamente em todo o país cerca de 25 milhões de pacientes e fabrica aproximadamente 45 milhões de medicamentos por dia. “A presença da nossa empresa no mercado reduz em 25% os preços dos remédios, portanto desenvolver outros produtos tem essa função”.
O parque tecnológico que será construído próxima ao distrito de Novo Sobradinho tem uma área de 4 milhões de metros quadrados e está localizado ao norte de Toledo, nas imediações do Rio Iguaçu. “Teremos uma avenida ligando a Barão do Rio Branco até a entrada do parque para facilitar o acesso para que o parque fique ligado à cidade de Toledo”, diz.
Casal Donaduzzi irá doar R$ 30 milhões que serão investidos na saúde
Cerca de R$ 500 milhões serão investidos no complexo do maior parque tecnológico do Paraná ao longo dos próximos cinco anos, sendo que R$ 30 milhões serão doados pelo casal Donaduzzi. Considerado pelos idealizadores como um legado que beneficiará a população, o Biopark terá um investimento inicial de R$ 100 milhões. O primeiro prédio a ser construído e que deverá ficar pronto até o final de 2017, é o da Faculdade de Medicina da UFPR. “Vamos levar para o parque o campus da UFPR e iremos construir a Faculdade de Medicina que será um espaço adequado para os alunos de medicina. Vamos construir e doar essa construção para a universidade. Eu e a Carmem estamos destinando uma quantidade de recursos que ganhamos ao longo de 23 anos de trabalhão para a sociedade civil. E nestes primeiros cinco anos serão em torno de R$ 30 milhões”.
Ainda dentro do projeto inicial serão construídos um hospital para a Hoesp, que atualmente é a mantedora do Hospital Bom Jesus, o hospital da Unimed, e cada um terá 300 leitos e ainda será doado uma área para construção do campus 2 da Unioeste. “Vamos levar para o parque, a Hoesp e iremos destinar nossos recursos pessoais para a construção de uma ala do hospital que irá atender pelo SUS. A Unimed irá construir um hospital nos próximos anos no parque tecnológico. Outro parceiro será a Unioeste com um campus dentro do parque. E teremos o nosso próprio campus com uma área de 240 mil metros quadrados e investimentos na ordem de R$ 300 milhões formado por uma universidade, institutos de pesquisas, restaurante, anfiteatro, ginásio de esportes e toda a infraestrutura de um campus”, revela Donaduzzi. Em cerimônia realizada no salão Olinda, os representantes da Hoesp, Unimed, Unioeste e UFPR assinaram a carta de intenções para futuramente se instalarem no Biopark.
Com o passar dos anos o Biopark tem metas ousadas entre elas a que a população de Toledo cresça em mais 60 mil pessoas nos próximos anos, que toda a estrutura quando finalizada tenha investimento superior a R$ 12 bilhões e que centenas empresas se instalem dentro do parque. “Temos a capacidade de transformar a região no longo prazo, mas necessita de infraestrutura e sabemos que os parques tecnológicos mudam as regiões onde se instalam e onde são aplicados recursos importantes tiveram um grande salto de desenvolvimento e na nossa região se não houver problemas e pelo sentimento que temos o parque será um sucesso”, afirma Luiz Donaduzzi.
Galeria de fotos
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

Oportunidade para empresários

Acit Estágios orienta estudantes do Jardim Porto Alegre

Caged: setor de serviços impulsiona geração de empregos

Saúde convoca população para se vacinar contra a gripe

Seleção de estagiário do curso de direito

Projeto Mini Arena começa ser montado em Toledo

Projeto Pedrinho Furlan ganha novos uniformes

Secretaria de Segurança e Trânsito mudará de endereço

SerToledo realiza assembleia histórica

Madrugada e manhã gelada em Toledo

Mais Destaques
"ultrapassamos os 14 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo em 3 anos. Aqui sua propaganda, propaga - 45 9.91339499"
(Leitores)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)