Cidade

Infestação de caramujos preocupa moradores

| 23/12/2015 - 00:01

Infestação de caramujos preocupa moradores

Moradores da Vila Industrial, em Toledo, reclamam de uma verdadeira invasão de caramujos africanos durante a noite. A maior preocupação é com a saúde, já que doenças sérias podem ser transmitidas, como verminoses que causam perfuração intestinal e até cegueira. O excesso de umidade deixado pela chuva facilita a infestação de caramujos em alguns bairros da cidade. A espécie foi trazida para o Brasil há quase 30 anos para ser comercializada como alimento, mas se tornou um problema de saúde pública. O morador da Vila Industrial, Eitor Müller, disse que todo o dia de manhã a sua mãe recolhe no quintal da residência vários caramujos. “O bairro está infestado desses caramujos e outras localidades da cidade também. Os caramujos começaram a aparecer neste ano, principalmente agora em novembro e dezembro. Esses bichos também atacam a horta de casa e estão acabando com as hortaliças”, diz.
Eitor conta que quando surgem muitos caramujos, ele joga sal de cozinha para matar o bicho e depois jogar fora. “Depois que comecei a jogar sal, a quantidade de caramujos diminui. Eu não sei qual é o órgão responsável para dar uma destinação correta aos caramujos, que são venenosos e perigosos. Eles se reproduzem muito rapidamente. Ainda bem que dentro de casa os caramujos não entram, mas no quintal, telhado e na horta os bichos se multiplicam”, afirma.
Caramujos não têm predador natural e a proliferação é muito rápida
Por ser uma espécie exótica, o caramujo não tem predador natural no Brasil, sendo muito difícil acabar com esses bichos que se proliferam rapidamente. O engenheiro de pesca do Instituto das Águas do Paraná, escritório de Toledo, Robert Hickson explica que os caramujos ficam geralmente embaixo da terra e emergem quando o volume de chuvas é elevado. “Quando começa o período de chuvas eles saem do solo e ficam grudados nas paredes e muros. Não é fácil acabar com esse bicho, porque quando não chove ficam enterrados e sendo um animal exótico não existe predador natural. É um problema que foi trazido pelas pessoas que estavam estimulando o consumo dessa iguaria, mas não deu certo e acabaram soltando esses bichos. Alguns animais que chegaram ao Brasil deram certos a exemplo do boi e o frango, mas outros como o caramujo não foi aceito pelos brasileiros”, diz. Ele confirma que o sal de cozinha é eficaz para matar os caramujos. “Esses bichos de corpo mole morrem facilmente com esse tempero, eles acabam se desidratando”. Robert orienta que outra forma de matar o caramujo é cozinhando, porém o brasileiro não tem o costume de comer essa iguaria, que é típica da França.
A população tem grandes dificuldades em dar um destino correto para os caramujos depois de mortos e acabam jogando no lixo comum. Robert Hickson disse que as pessoas precisam procurar os órgãos competentes. Estaduais: o IAP e municipais: secretaria do Meio Ambiente, secretaria da Saúde e Vigilância Sanitária.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

Municípios receberão R$ 6,6 bi da participação no ICMS em 2018

Veja como reagir em caso de picada de escorpião

Fórum Mundial da Água tem evento preparatório em Foz

Caciopar estimula adesão a ações da Lava-Jato

Jardim Coopagro: Audiência Pública propõe novamente alterações no sentido das vias

Toledo recebe Oficina Técnica Regional do Plano Estadual de Resíduos Sólidos

A oficialização do sim perante o poder judiciário

Ligue 153: Espaços públicos sofrem vandalismo

Too de Férias: Museu é ponto turístico indispensável para quem quer conhecer a história do município

CMEG define agenda para 2018

Mais Destaques
"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)