Entrevistas para a História

Lamartine Braga Cortes: O vice-prefeito e dentista do Oeste

| 07/12/2014 - 00:01

Lamartine Braga Cortes: O vice-prefeito e dentista do Oeste

Lamartine Braga Cortes, nascido na cidade de Lapa (PR), em 03 de outubro de 1930, veio a fixar residência em Toledo em janeiro de 1955. Casado com dona Irene, foi o primeiro dentista da cidade, e inscreveu seu nome na vida pública do município com suas principais virtudes: honestidade, sinceridade e humildade. Na entrevista concedida em setembro de 2009, Lamartine revela aspectos importantes da história de Toledo.
P:Como foi sua chegada em Toledo, em 1955, e que cenário encontrou?
R: Em 11 de janeiro de 1955 eu cheguei a Toledo e, olhando de cima, do alto do avião, vi uma clareira aberta no meio do mato, muito verde, muito bonito por sinal, e logo de cara senti muito cheiro de queimadas. Os colonizadores desmatavam para construir suas casas e iniciar as roças. Vim num avião DC-3, que tinha linhas regulares para a região. Instalei-me no Duque Hotel, que era referência na região. Toledo tinha duas coisas de referência na época: O Duque Hotel, que era muito limpo e organizado, e o Clube do Comércio, edificado e mantido pelos funcionários da Maripá, que também auxiliava. Não tinha outro igual na região e quem sabe no interior do Paraná.
P: O que mais lhe chamou a atenção em Toledo, na época?
R: Em primeiro lugar, vi no semblante das pessoas que aqui residiam uma vontade enorme de progredir e trabalhar, não mediam esforços para me agradar. Surpreendeu-me a forma maravilhosa como fui tratado, pelo Willy Barth, pelo Ernesto Dall’Oglio e outros mais. Outra coisa que me surpreendeu foi que existia energia elétrica, gerada por um motor diesel enorme, que disponibilizava energia até as 9 da noite; tinha também telefone, não muitos, mas havia a possibilidade de comunicação, mas o que mais me impressionou foram realmente as pessoas. Lembro-me do Ondy Niederauer e do Clécio Zenni, que trabalhavam na Maripá, nos tornamos grandes amigos, também o Nelson Lorenz e outros que não recordo o nome no momento, mas que me acolheram e me fizeram acreditar que aqui não era só a “Califórnia” prometida, seria o lugar onde faria meu futuro e constituiria minha família. Aqui eu não seria mais um dentista. Eu seria um dos poucos dentistas da região.
P: O senhor ganhou dinheiro com a política?
R: Pelo contrário. Eu como vice-prefeito tinha apenas uma verba de representação, o que dava alguns trocados. Tanto eu, como o Dr. Wilson e o Arnoldo Bohnen, que era o chefe de gabinete, entramos e saímos do mandato com os mesmos automóveis e quem sabe com patrimônio menor, pois nosso lema era ser útil para a sociedade. A minha sorte é que meu consultório estava sempre repleto de pessoas, pois dentista só se encontrava talvez no Paraguai, então tinha um bom movimento, o que me dava a oportunidade de ter um bom padrão de vida.
P: Como primeiro dentista de Toledo, o senhor deve ter passado por alguns casos inusitados. Poderia discorrer sobre isso?
R: Aconteceu um fato que marcou minha vida e que quando conto para outras pessoas, algumas não acreditam, foi um episódio que ocorreu certo dia, ao abrir o meu consultório, logo pela manhã, um cidadão estava na porta, uivando de dor, sentado na grama, e eu o mandei entrar. Quando ele sentou na cadeira eu pedi para ele abrir a boca e feito isso, olhei sua gengiva, parecia uma goiaba bichada, a boca dele estava cheia de bichos, horrível, e eu pensei, o que faço agora? Tentando segurar a ânsia de vômito que a cena proporcionava, então, por instinto, o mandei comprar creolina e fazer gargarejos e bochechos, porque não tinha o que fazer. Depois vi na literatura qual deveria ter sido o procedimento, tirar os bichos com a pinça, esterilizar, etc. Mas o fato é que nunca mais vi o cara para perguntar se minha receita tinha funcionado.
P:Quais foram, a seu ver, os pioneiros que fizeram a diferença na história de Toledo?
R: Para mim o Willy Barth foi a expressão maior, foi fora de série, disseminou sua ideia e com este impulso consolidou o que é hoje Toledo. Já Egon Pudell e Wilson Carlos Kuhn foram igualmente extraordinários. Egon Pudell, com seu jeito simples, foi progredindo na política, chegando a se tornar deputado estadual, num trabalho extraordinário em prol do município. O Dr. Wilson, com seu plano diretor e o extraordinário salto na educação e cultura. Outra pessoa que preciso destacar na história de Toledo é o Dr. Ernesto Dall’Oglio, que teve também uma importância ímpar. Não posso deixar de mencionar o Dr. Avelino Campagnolo, o rei das estradas, que também deu sua expressiva parcela de contribuição ao desenvolvimento da região.
P: O senhor teve alguma grande decepção na sua vida?
R: Não, não tive decepções profundas. Tenho alguns episódios do dia a dia, onde uma pessoa mal educada te desrespeita no trânsito, pessoas que jogam lixo pela janela do automóvel, isso me provoca decepções, a imperfeição do homem e sua falta de jogo de cintura para resolver uma situação.
P: Uma grande alegria?
R: Com certeza minha família é o que de mais precioso consegui e tenho perto de mim. São filhos honestos, todos bem encaminhados e dotados todos de extrema educação. Acho que a maior herança que podemos deixar são os exemplos. Eu acho que meus filhos têm orgulho de mim por ter sido honesto em toda a minha vida.
P: Como o senhor tem visto a Toledo de hoje, administrada pelo (José Carlos) Schiavinato?
R: Eu vejo bem, o Schiavinato, com sua formação de engenheiro, está correspondendo plenamente, em todos os aspectos. Ele está indo muito bem e faz juz ao histórico de bons prefeitos em Toledo.
P: Teve alguma outra pessoa que o senhor achou fundamental para o bom andamento do município?
R: Tenho sim. Chamava-se Edílio Ferreira e foi uma das pessoas mais inteligentes que eu conheci. Apesar de ateu e comunista, não manifestava suas convicções, mas conhecia a fundo o cristianismo e qualquer outro assunto que com ele pudesse se discutir. Foi professor, embora nunca tenha concluído nenhum curso universitário, foi quase um autodidata, mas de uma capacidade ímpar enquanto serviu o município de Toledo.
P: Qual a sua mensagem para os munícipes de Toledo?
R: Uma mensagem de coragem e paz. Este ano é novamente um ano político, onde todos devem buscar a continuidade da democracia, e Toledo vai continuar no rumo do progresso, cada vez melhor, com um futuro brilhante, com uma perspectiva ótima de crescimento e desenvolvimento nos próximos dez anos.
    1 COMENTÁRIO
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

  • PITA BRAGA CÔRTES
    Qual a Credibilidade do meu Comentário se sou seu Sobrinho ? Tio LAMARTINE foi sempre Queridão da Família por seu jeito Espontãneo e Verdadeiro. Espero que todos tenham um TIO como eu tenho. Agora, ele também é escritor, pois na sua Rede Social ele de Forma muito Simpática, mas com exímia Maestria, torna o dia a dia das suas Amizades Virtuais mais contentes. Ele é uma pessoa amável com todos e com um acentuado Positivismo com relação a vida dos Brasileiros e a sua própria vida. Agrada Jovens e Idosos, além de junto com suas Brincadeiras sadias, transmite Cultura e História da Sua Velha LAPA e também de TOLEDO. Meu Filho que hoje reside em Brasília, sempre sempre pergunta dele. LAMARTINE é sim um cidadão especial e Sarrista. Pois eu lhes digo, Sou seu sobrinho Mais querido, e se não for, prefiro pensar assim.
Notícias de 'Entrevistas para a História'

Com experiência de Executivo, Schiavinato assume Legislativo nesta quinta-feira

Ildo Bombardelli: Uma vida dedicada à educação

Ailor Dalla Costa

Pitágoras da Silva Barros: De líder estudantil e vereador e servo de Deus

Vítor Beal

Duílio Genari: De motorista de caminhão a deputado estadual. Uma vida inteira na política

Orlando dos Santos: Fiel escudeiro da empresa Maripá

Lamartine Braga Cortes: O vice-prefeito e dentista do Oeste

Niulton Pegoraro: Paixão pelo esporte

Egon Pudell: Um fã de JK, desbravando o Oeste

Mais Destaques
"Poder-É a capacidade de arbitrariamente, agir e mandar, exercer a autoridade, a soberania, o império dos grupos que se formam visando o poder, o monopólio. Quanto maior a dependência de A em relação a B, maior o poder de B em relação A. Desconhecido"
(Desconhecido)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)